A tradução simultânea

Quem nunca viu na televisão uma personalidade falando através de um tradutor, ou seja, sendo traduzida simultaneamente? Embora possa parecer uma tarefa simples, na verdade não é. Existem poucos tradutores capazes de realizar traduções simultâneas com êxito.

#01 – Tradução simultânea

Em primeiro lugar, é imperativo que o tradutor seja 100% bilíngüe; isto significa, que domine ambas as línguas com perfeição. Não só a gramática e o vocabulário, mas especialmente a pronúncia e a consciência fonêmica. Embora muitas línguas compartilhem fonemas, cada idioma possui fonemas únicos; por exemplo, o idioma português brasileiro utiliza 34 fonemas, enquanto o espanhol possui 22.

#02 – Tradução simultânea

Além disso, para realizar traduções simultâneas, o tradutor deve ter agilidade mental extraordinária para ir lembrando e traduzindo à língua-alvo o que ouve sem cometer erros. Os tradutores têm pouco tempo de reação, já que normalmente os oradores não costumam fazer muitos intervalos para que eles possam realizar a tradução; o objetivo é traduzir a uma velocidade semelhante ao original para que a tradução não se torne monótona.

#03 – Tradução simultânea

Saber gerenciar o estresse é outro fator de suma importância. As traduções simultâneas são feitas “ao vivo” e muitas vezes para uma audiência de milhões de pessoas. Por isso é essencial que o tradutor tenha uma grande estabilidade emocional. Imagine um discurso do presidente dos Estados Unidos, que fala com segurança e firmeza, enquanto seu tradutor começa a vacilar perdendo os nervos? Provavelmente, a mensagem do presidente causaria certa desconfiança…

#04 – Tradução simultânea

Por último, mas não menos importante, a pessoa encarregada de fazer uma tradução simultânea deve ter uma formação cultural excelente para saber traduzir tanto expressões formais, como expressões populares; por exemplo, uma tradução literal do dizer castiço “acabar em pizza” incitaria certa confusão e/ou sorrisos maliciosos na audiência.